Edificação

#comportamento: SUAS ROUPAS NÃO FALAM QUEM VOCÊ É

Há algum tempo, escutei a frase: “Uma mulher casada tem que se vestir como tal!”, o que me surpreendeu bastante por ser um comentário opressivo e ainda vindo de uma mulher. Mesmo de cara não concordando, resolvi entrar em jejum e oração (que se encerra hoje) para que o Senhor falasse ao meu coração sobre isso. E gente, como agradeço a Deus por essas coisas acontecerem, pois pude aprender mais, e consequentemente me posicionar melhor. Então resolvi trazer o assunto para cá, pois gosto de tratar coisas do meu dia-a-dia.

Comecei a observar aqui no Canadá como as pessoas se vestiam, e de cara percebi que as pessoas não estão nem ai para o que vestem, ou para o que o outro veste. Acho esse pensamento muito inovador, pois a roupa não tem o papel de responder por quem somos. Aqui, as pessoas só querem saber se você é uma pessoa boa ou não, e uma saia curta ou longa não vai influenciar nisso. Daí, com base nessas minhas reflexões e observações, separei itens que explicam a relação que a roupa deve ter para nós.

  • Antes de ser mãe, profissional, esposa (ou qualquer outra coisa) você é um ser único!

É incrível como a sociedade é Expert em impor regras e padrões! Como se a roupa que vestimos fosse capaz de nos dar mais responsabilidade, santidade,  maturidade, etc. O que vestimos é apenas uma expressão do que nos identificamos e gostamos. E algumas vezes refletem também o que vamos ou estamos fazendo. Como se estar de roupa de banho quer dizer que está indo ou vindo de um programa aquático. Porém, isso não quer dizer que você seja uma nadadora, certo? A roupa é o objeto mais íntimo que temos, pois ela está em contato direto com nosso corpo, e isso nos explica por que somos tão apegados a mesma, ou colocamos tanta pressão na hora de escolhe-lá. Comecei a observar aqui que as mulheres casadas e/ou mães são (ou se tornaram) muito desleixadas, entretanto, quando olho para sua família vejo apenas sorrisos, brincadeiras, filhos saudáveis (e bem travessos por sinal kkk) – ou seja, sua família é bem cuidada mesmo quando sua aparência não é.

  • A roupa não tem o papel de definir quem você é;

 Eu acredito na roupa como uma forma de expressão! Afinal, quem nunca vestiu uma camisa de uma banda, marca, evento, estampa, etc, que tem tudo haver com o seu gosto pessoal? Durante muito tempo da minha vida, fui fechada e não conseguia falar o que estava sentindo e automaticamente, precisando me expressar, representava meus sentimentos através das cores que vestia, ou seja, saía toda colorida em dias de um astral lá em cima e mais discreta quando não tava lá muito bem. E encontrei aqui, pessoas com muitas tatuagens, cabelo coloridos (de todas as idades) e em empregos que lidam diretamente com outras pessoas, e isso acontece aqui por que tem respeito mútuo. Um cabelo ou um desenho no corpo não representa que você é, ou não, capaz de lidar com outras pessoas. Inclusive para nível de curiosidade, nos currículos canadenses não se põe foto ou se responde perguntas do tipo: “Você tem tatuagem?”, pois aqui eles querem a sua capacitação e não sua aparência.

  • O que você veste não faz você ser mais ou menos santa;

Por fim, mas não menos importante, não poderia deixar esse ponto de fora já que sou cristã. No Brasil, a mulher cristã em sua maioria é vista como quem usa a saia no joelho e só, qualquer coisa fora isso é considerado vulgar. Porém, a realidade americana é diferente… Não se têm essas regras de vestimenta por um motivo apenas: aqui não existe o assédio (como acontece no Brasil)! Ou seja, não têm àqueles homens safados gritando quando você passa na rua, ou até mesmo, as mulheres dando atenção ao corpo uma das outras. Logo, as roupas são muito “de boa”, é fácil você encontrar pessoas na igreja de shorts ou bermudas, e isso não faz a pessoa ter mais ou menos intimidade com Deus. Pois, o que o Senhor está interessado é no nosso coração e não nas nossas roupas. E para não ter dúvidas, não defendo de forma nenhuma o vulgarismo e/ou sexualização do que vestimos. Mas ai você pode pensar: “Não devemos ser pedra de tropeço!”, digo isso pois já pensei assim. Se paramos de fazer algo por que o nosso irmão não pode fazer, isso é errado também. Quero dizer que, existem determinadas ações que exigem mais atenção onde e quando elas devem ser realizadas. Exemplos: mexer com dinheiro, não é errado, porém, existem pessoas que tem problema com o mesmo, comer doces, pois podem ter diabéticos do nosso lado, e por ai vai. Nesse ponto é importante sabermos o contexto. Não devemos influenciar os outros a pecar, assim como, não devemos também impor nossas limitações nos outros.

{Conclusão} Não acredito que o que visto me faça ser uma pessoa melhor ou pior, isso é apenas um aspecto exterior. Quero comentar também que o Brasil é um país muito religioso, seja qual for a religião, cheio de regras, doutrinas e só percebi quando sai. Porém, em nenhum momento quero que você vá em desencontro à sua doutrina, pois, dessa forma, estará em desobediência, e quando somos liderados por alguém instruído por Deus – mesmo que não concordando – devemos acata-lo. É muito, mas muito importante, procurar conhecimento lendo a Bíblia, fazendo jejum e pedindo orientação a Deus. E assim, nunca nos limitando apenas ao que escutamos.
“Portanto, com a ajuda de Deus, quero que vocês façam o seguinte: entreguem a vida cotidiana — dormir, comer, trabalhar, passear — a Deus como se fosse uma oferta. Receber o que Deus fez por vocês é o melhor que podem fazer por ele. Não se ajustem demais à sua cultura, a ponto de não poderem pensar mais. Em vez disso, concentrem a atenção em Deus. Vocês serão mudados de dentro para fora. Descubram o que ele quer de vocês e tratem de atendê-lo. Diferentemente da cultura dominante, que sempre os arrasta para baixo, ao nível da imaturidade, Deus extrai o melhor de vocês e desenvolve em vocês uma verdadeira maturidade. (Romanos 12:1-2 – Bíblia A Mensagem)
Tags:

4 comments

  1. amei sua postagem sobre as roupas.

    sobre a faculdade de medicina que te perguntei você sabe me dizer algo?

    bjs!!!
    DEUS ABENÇOE.

    1. Princesa não respondi antes pois estava coletando informações. Na faculdade daqui da cidade que estou não tem o curso não, mas é só procurar no google: “Faculdade me medicina no (-país que ela deseja-)”. Se quiser melhorar a pesquisa é só colocar na língua do país. Ai vão aparecer várias, e você escolhe umas 7/8 e vai comparando entre elas: valor do curso, aluguel (se necessário), custo de vida na cidade pois as cidades grandes são mais caras para viver, documentos necessários, etc. Foi assim que eu e o Jorge encontramos a faculdade que ele está.

  2. Como eu ainda não tinha conhecido o seu blog Jesus? super amei demais a seu post. No Brasil muitas pessoas escondem seus pecados debaixo de uma saia longa ou um terno e por isso muitos se acham no direito de julgar as pessoas, pois acreditam realmente que seu pecado foi escondido. Emfim, amei o post e com certeza ganhou uma leitora e uma inscrita no seu canal. Que Deus continue te abençoando cada dia mais. Muito Sucesso!

    1. onnnw obrigadaaaa! Esse post foi quase um “desabafo”, acho mt gente preocupada com o que vestem e não com o coração e ações! Enfim, no momento to tentando fazer só minha parte mas é como você disse… mt gente julgado. mt mt mt obrigada pelo comentário, é mt importante pra mim <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *